Busca  
  Fernando Henrique Cardoso   
Material complementar.  


Fernando Henrique Cardoso

Sociólogo e presidente brasileiro entre 1995 e 2002
18/06/1931, Rio de Janeiro (RJ)

Presidente da República por dois mandatos, de 1995 a 2002, Fernando Henrique Cardoso surgiu na cena pública como um grande intelectual e entrou para a vida política com esse perfil, com notável capacidade de articulação partidária.

Doutorou-se em Ciências Políticas pela Universidade de São Paulo (USP) em 1961 e, a convite do francês Alain de Touraine, fez estudos de pós-graduação na Universidade de Paris. Acusado de subversão, foi obrigado a sair do país com o golpe militar de 1964, exilando-se inicialmente no Chile, e depois na França.

Na capital chilena, onde permaneceu por três anos, aproximou-se de dirigentes de grandes organizações, como as Nações Unidas, e de personalidades, como Raul Alfonsín, Domingo Cavallo e Salvador Allende.

Trabalhou na Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) e no Instituto Latino Americano de Planejamento Econômico e Social (Ilpes), onde também foi professor. Lecionou na Faculdade Latino Americana de Ciências Sociais (Flacso) e na Universidade do Chile. Em Paris, para onde se mudou em 1967, lecionou na Universidade de Paris-Nanterre. De volta ao Brasil, em 1968, conquistou a cátedra de política da USP, retomando a carreira acadêmica, e, um ano mais tarde, fundou o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap).

Em 1969, publicou seu mais importante livro, Dependência e desenvolvimento na América Latina (com Enzo Faletto); logo em seguida, Política e desenvolvimento em sociedades dependentes: ideologias do empresariado industrial argentino e brasileiro (1971). Em 1975, veio outra importante obra: Autoritarismo e democratização. Antes de começar carreira política, lecionou nas universidades de Stanford (1972), Cambridge (1976-1977) e Paris (1977).

Seu primeiro cargo político foi como suplente de Franco Montoro para o Senado pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), em 1978. Em 1980, participou da fundação do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e, três anos mais tarde, assumiu o Senado quando Montoro foi eleito governador de São Paulo. Candidato à prefeitura de São Paulo em 1985, foi derrotado por Jânio Quadros. Em 1986, foi novamente eleito senador. Foi um dos fundadores do Partido da Social-Democracia Brasileira (PSDB), em 1988.

De ministro das Relações Exteriores no governo Itamar Franco (1992-1993), passou a ministro da Fazenda (1993-1994) e lançou o Plano Real, que, sem congelamento de preços ou salários, buscou a estabilização econômica. Aliando-se ao Partido da Frente Liberal (PFL), elegeu-se presidente. Candidato pela aliança PSDB/PFL/PTB/PPB, reelegeu-se em 1998, graças à emenda da reeleição aprovada em seu primeiro mandato. Saiu da presidência em 1º de janeiro de 2003, quando foi substituído por Luiz Inácio Lula da Silva.

Atualmente, Fernando Henrique Cardoso é presidente do Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC, São Paulo) e presidente de honra do Diretório Nacional do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Além disso, escreve mensalmente para uma coluna dos jornais O Estado de S.Paulo e O Globo.