Qual a importância do pau-brasil?
O pau-brasil foi a primeira riqueza brasileira explorada pelos portugueses e rendeu muito dinheiro no início da colonização do País. Durante os séculos XVI e XVII, a expressão “fazer brasil” era utilizada para se referir à exploração da árvore e resumia todo o processo de exploração, que incluía a derrubada da árvore, o corte da madeira e o transporte até o litoral, onde ficava guardada até a chegada dos navios que levavam a carga para a Europa. Além de ser usado para tingir tecidos, o pau-brasil também era apreciado por ser uma madeira dura. Era vendido para a Inglaterra e Alemanha, onde era transformado em móveis pesados e resistentes. Os europeus praticamente acabaram com nossas reservas de pau-brasil. Entre 1530 e 1630, cerca de 2 milhões de árvores foram derrubados, uma média de 20 mil por ano ou 50 por dia. Atualmente, a árvore está restrita a reservas florestais e jardins botânicos. Existem pouquíssimas em ambientes naturais. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) investe na preservação da espécie, fazendo o mapeamento e a classificação das últimas 300 árvores nascidas naturalmente em solo brasileiro. A Fundação Nacional do Pau-Brasil, em Pernambuco, também ajuda a preservar a espécie, distribuindo mudas da árvore pelo País. Hoje, o pau-brasil é usado na fabricação de arcos de violinos e violoncelos exportados para Estados Unidos, Alemanha e Japão.